Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Vendas de eletrônicos e eletrodomésticos devem impulsionar varejo de Indaiatuba e região em agosto, diz sindicato

6
Para a entidade, o cenário positivo da área está associado à queda dos juros e inflação, além de alta do crédito e otimismo do consumidor. Apesar disso, lembra que a base de comparação é “ruim”.

As vendas de eletrônicos e eletrodomésticos devem impulsionar o comércio varejista da região de Campinas (SP) em agosto, segundo projeção feita pelo sindicato da categoria (Sindivarejista), em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado (FecomercioSP). A expectativa é de que o faturamento do setor aumente 178% com o “Dia dos Pais”, no comparativo com o mesmo período do ano passado, e represente um faturamento de R$ 409 milhões.

Para a entidade, o cenário positivo da área está associado à queda dos juros e inflação, além de alta do crédito e otimismo do consumidor. Apesar disso, lembra que a base de comparação é “ruim”.

“Não ter uma nova tragédia não é motivo para comemorar, ou seja, 2017 é para se esquecer […] O que pode facilitar de fato neste ano são os juros mais baixos nas compras a prazo. Parte das compras são feitas no parcelamento do cartão de crédito e o comércio tem uma série de instrumentos usados por alguns grupos, como uso do carnê ou cheque pré-datado”, explica o economista e professor da PUC-Campinas Roberto Brito de Carvalho.

Entre os outros segmentos com potencial de crescimento estão os de autopeças e acessórios (6%), concessionárias (4%), farmácias e perfumarias (4%), além das lojas de móveis e decoração (1%), diz o levantamento. Por outro lado, é prevista estagnação dos setores de materiais de construção e supermercados, enquanto que o faturamento das lojas de vestuários, tecidos e calçados deve cair 4% – neste caso, em especial, em virtude de sazonalidade no comparativo com julho.

A projeção total de receitas para o mês é de R$ 4,9 bilhões, o que representa alta de 8%. São considerados na avaliação 30 municípios: Águas de São Pedro (SP), Americana (SP), Araras (SP), Artur Nogueira (SP), Campinas (SP), Capivari (SP), Charqueada (SP), Cordeirópolis (SP), Cosmópolis (SP), Elias Fausto (SP), Engenheiro Coelho (SP), Hortolândia (SP), Indaiatuba (SP), Iracemápolis (SP), Leme (SP), Limeira (SP), Mombuca (SP), Monte Mor (SP), Nova Odessa (SP), Paulínia (SP), Piracicaba (SP), Rafard (SP), Rio das Pedras (SP), Saltinho (SP), Santa Bárbara d’Oeste (SP), Santa Cruz da Conceição (SP), Santa Maria da Serra (SP), São Pedro (SP), Sumaré (SP) e Valinhos (SP).

Veja, abaixo, a estimativa de faturamento para cada área, de acordo com a pesquisa:

  • Autopeças e acessórios:R$ 143,2 milhões
  • Concessionárias: R$ 799,6 milhões
  • Farmácias e perfumarias: R$ 443,4 milhões
  • Eletrodomésticos, eletrônicos e lojas de departamento: R$ 409,6 milhões
  • Materiais de construção: R$ 375 milhões
  • Lojas de móveis e decoração: R$ 93 milhões
  • Lojas de vestuário, tecidos e calçados: R$ 302,7 milhões.
  • Supermercados: R$ 1,4 bilhão
  • Outras atividades: R$ 1 bilhão
  • Total do comércio varejista: R$ 4,9 bilhões

Expectativas

O sindicato destaca que o mês de agosto costuma ser marcado por redução na capacidade de consumo, uma vez que é o mês posterior às férias, quando as famílias geralmente gastam com viagens e atividades recreativas. A recomendação da entidade é para que empresários façam ajustes de estoques com promoções e ofereçam aos consumidores, por exemplo, facilidade nas formas de pagamento para tentar elevar as vendas e, com isso, equilibrar a balança.

Para Brito de Carvalho, a expectativa para o período de julho a dezembro é sempre superior ao do intervalo entre janeiro e junho, porque as famílias deixam de gastar com alguns impostos e materiais escolares, por exemplo. “Há também intensificações das taxas de emprego e renda por dois motivos, porque a indústria começa a produzir para o fim de ano, e o comércio começa a contratar para as vendas. Além disso, há o 13º salário, o que aumenta o poder de renda.”

Por outro lado, ele lembra que o período eleitoral também pode gerar reflexos. “Se os candidatos apresentarem propostas coerentes e o processo for democrático, a tendência é de fortalecimento. Contudo, se a gente tiver um ambiente de hostilidade e os candidatos apresentarem propostas muito ortodoxas, a gente corre o risco de ter uma retração”, diz o professor.

Mais procurados

Em relação ao “Dia dos Pais”, a Associação Comercial e Industrial (Acic) projeta faturamento de quase R$ 268,9 milhões pelo comércio das 20 cidades que formam a Região Metropolitana de Campinas (RMC) – alta de 1,2% no comparativo com o mesmo período do ano passado.

“O indicador reflete um pouco o crescimento do PIB [Produto Interno Bruto] deste ano, dificilmente irá superar 2%. A tendência é um leve crescimento, quase por ação inercial”, avalia o economista.

Integram a pesquisa Americana, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Morungaba, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santa Bárbara d’Oeste, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo.

O valor médio do presente será de R$ 109, segundo a Acic, o que indica aumento de 1,8% para o intervalo considerado. De acordo com a entidade, entre os itens mais procurados devem estar eletroeletrônicos, celulares, barbeadores, perfumes e relógios, além de almoço em restaurantes. Com informações do G1

Imagem de capa; REPRODUÇÃO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.