Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Veja a média salarial de Indaiatuba e outras cidades da RMC

7
Paulínia e Hortolândia têm a maior média salarial da RMC; Morungaba, a pior

O poderio econômico de Paulínia (SP) e o rápido desenvolvimento de Hortolândia (SP) garantem aos trabalhadores das duas cidades a maior média salarial entre os 20 municípios da Região Metropolitana de Campinas (SP), segundo dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Ministério do Trabalho. Na contramão estão Morungaba, Pedreira e Holambra.

Em Paulínia, 49,4% dos trabalhadores ganham acima de três salários mínimos (mais de R$ 2.862,00). Em Hortolândia, o índice é de 42,9%. Na contramão está Morungaba (SP), de 13 mil habitantes. O Rais aponta que em 2017, 88,6% dos trabalhadores ganham abaixo de três mínimos.

RMC – Mais de 3 salários mínimos (%)

  • Americana: 29,26%
  • Artur Nogueira: 23,54%
  • Campinas: 35,4%
  • Cosmópolis: 29,1%
  • Engenheiro Coelho: 25,07%
  • Holambra: 18,96%
  • Hortolândia: 42,95%
  • Indaiatuba: 32,4%
  • Itatiba: 28,1%
  • Jaguariúna: 33,8%
  • Monte Mor: 31,3%
  • Morungaba: 11,3%
  • Nova Odessa: 30,2%
  • Paulínia: 49,4%
  • Pedreira: 16,09%
  • Santa Bárbara d’Oeste: 27,17%
  • Santo Antônio de Posse: 21,34%
  • Sumaré: 38,63%
  • Valinhos: 33,16%
  • Vinhedo: 32,9%

Professor de economia da PUC-Campinas, Roberto Brito de Carvalho destaca que a pequena diversidade de atividade econômica e a falta de indústrias explica os baixos salários em Morungaba, Pedreira e Holambra.

“Às vezes você tem até uma boa geração de riqueza na cidade, mas fica concentrada nas mãos de poucos. No caso de Holambra, isso está atrelado ao perfil da agricultura, que costuma pagar pouco. Em Pedreira, a atividade sempre esteve atrelada ao comércio, que paga menos que a indústria. E Morungaba não tem uma diversidade econômica”, explica.

Melhores salários

O economista da PUC destaca o setor industrial de Paulínia, que conta com a Replan, maior refinaria da Petrobras no Brasil, como um destaque. “A cidade tem uma receita importante, o que naturalmente leva a esse nível de remuneração mais elevada. Boa parte do funcionalismo público também tem um bom rendimento.”

Sobre Hortolândia, Carvalho destaca o desenvolvimento acelerado do município de 227 mil habitantes.

“A cidade tem adotado políticas para receber em seu território grandes empresas, sobretudo multinacionais. O município conta com indústria farmacêutica, tecnológica, e isso tem melhorado o rendimento dos trabalhadores”, explica.

Vista aérea de Campinas (SP) — Foto:  João Maurício Garcia
                                                                           Vista aérea de Campinas (SP) — Foto: João Maurício Garcia

Campinas

Maior cidade da RMC, com 1,1 milhão de habitantes, Campinas está entre as cidades com maior média salarial da região: 35,4% dos 405 mil trabalhadores formais da cidade recebem acima de três salários mínimos. “Campinas é muito diversificada e permite um nível de remuneração um pouco maior que as demais cidade”, completa o economista. Com informações do G1

Imagem de capa; reprodução

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.