Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Se vendeu e traiu por 30 moedas

10

Por Vítor Carneiro – Mateus 26.14. Então Judas Iscariotes, um dos doze discípulos, foi aos sacerdotes principais 15. e perguntou: “Quanto vocês me pagarão para eu por Jesus em suas mãos?” E eles lhe deram trinta moedas de prata. 16. Daquela hora em diante, Judas procurava uma oportunidade de entregar Jesus a eles. 21. Naquela noite, quando Ele Se acomodou para comer com os Doze, disse: “Um de vocês Me trairá”.

Jesus era uma pessoa incômoda para a elite de sua época e já havia planos para eliminá-lo, mas a grande questão é que Ele não havia feito nada de errado. Inclusive nada que contrariasse a lei que governava seu povo. Ele foi alvo de pura inveja!

As lideranças religiosas determinaram que iriam prendê-lo, e isto então deveria ocorrer na calada da noite. Mas como encontrar Jesus? Ele não iria se entregar, pois, afinal não pesava nenhuma acusação sobre Ele. Certamente também não iria colocar sua vida e de seus discípulos em risco. Então, naquelas mentes odiosas, estava claro que, fazia-se necessária a TRAIÇÃO.

Judas, que defendia os pobres, mas como pretexto para roubar do dinheiro que era lançado na bolsa, após um desentendimento sobre o assunto com o seu Mestre, saiu para TRAÍ-LO. Para tal assinou um contrato no Valor de 30 moedas de prata. Acredito que o real motivo para tal feito teria sido sua avareza. Porém, quando Judas assiste o que sucede a Jesus, um homem inocente, ele sente remorso e vai se suicidar, lançando fora, pois de nada valia, as trinta moedas que recebera…

Aquele “amigo”, que vendeu seu mestre, foi quem levou os guardas do sinédrio (Antiga Assembléia ou Supremo Conselho dos judeus) ao local e momento privado, onde eles se reuniam. Levar pessoas a Jesus não era o problema, mas, trazer pessoas a Jesus por causa de dinheiro é pura traição. Se você está sob a autoridade de alguém justo e conspira contra ele, isso é traição!

30 moedas para trair e entregar Jesus! A ganância pelo dinheiro pode ser mais forte, que a opção pela vida. Enquanto a mensagem de Jesus era de justiça, de amor e de união entre os homens (fundado no respeito pela dignidade da pessoa humana e na igualdade de direitos entre todos os seres humanos), Judas com sua ambição e ganância fez o caminho inverso ao do Mestre.

Mesmo estando no convívio do Cristo, conhecendo o amor e a misericórdia, por conta própria fez uma escolha: escolheu a si mesmo, escolheu as suas ambições, escolheu aquilo que era a avareza do seu coração.

A TRAIÇÃO, falta de lealdade, quebra de fidelidade e confiança, é um ato que a sociedade recrimina, no entanto não são poucos os traidores, inclusive com relação a si próprios. Por outro lado, a FIDELIDADE, cada vez mais, tem se tornado uma virtude rara. Permanecer fiel a uma pessoa, a uma amizade, a um ideal, a um aliado, a Deus… parece ser uma tarefa quase impossível de se cumprir.

Quando me veio à mente abordar sobre este tema, acredito que se deu em virtude das tantas situações negativas que tenho acompanhado ou presenciado e infelizmente de outras da qual tenho vivenciado. São situações estas que envolvem relacionamentos entre pais e filhos, que envolvem os cônjuges, outras envolvendo cidadão / estado e outras que envolve simplesmente o próprio cidadão.

Exemplo: todos temos acompanhado a onda de violência e vandalismo que tem ocorrido nas últimas semanas no Espírito Santo e sobre isto um amigo fez o seguinte comentário: “Percebemos neste episódio que o que nos impede da infração é o medo da punição e não nossa bondade ou espírito cívico. Os saques e furtos não estão sendo feitos por bandidos, mas por pessoas comuns que veem a oportunidade de tomar algo que não lhe pertence sem o incomodo da lei uma vez que as cidades não estão sendo policiadas. Isso é o que alguns chamam de depravação total. Nossa moral e ética só funcionam por meio da correção e punição? Não fossem as leis seríamos bárbaros?” Rubinho (Rubens Souza). Esta é uma típica situação que indica de fato estarmos traindo todas as virtudes que existe dentro de cada um de nós!

Eu mesmo, em determinados momentos fui tentado e desafiado a trair minhas convicções, meus princípios e valores! Me senti encurralado e lutando contra mim mesmo para não me frustrar, não entristecer ao Deus que particularmente creio profundamente nEle e não magoar pessoas que sempre foram muito queridas e importantes na história da minha vida.

A palavra ”traição” é muito dura e significa tanta coisa negativa que precisamos cada vez mais refletir sobre ela em nosso coração, para que a realidade de traidor não assuma aspectos em nossa vida. Trair significa abandonar a coisa mais digna que um ser humano tem.
É um fantasma que vive nos cercando desde os relacionamentos até nossa própria vida! Apresenta-se como o caminho mais curto para satisfazermos totalmente o nosso ego! Rouba a oportunidade de provar o quanto somos capacitados para superar as adversidades, alcançar a felicidade, superar as barreiras saboreando a vitória e desfrutar da sabedoria existente dentro de cada um de nós, sabedoria dada pelo próprio Criador!

 

Talvez não exista “dor mais profunda” do que a traição. É um sentimento que queima a alma, nos coloca “na lona” e fere nossas convicções. Quando somos surpreendidos pela falta de honestidade e lealdade de alguém, o nosso mundo cai e um choro indignado toma conta dentro de nós.

Acredito ser verdade que, em cada traição, o nosso caráter fica mais frágil! E certamente a melhor maneira para evitarmos esse mal, é fortalecer o nosso caráter e as nossas convicções para que a “traição” não assuma corpo em nossa vida.

Trair um amigo, trair um compromisso, trair o amor que alguém colocou em nós, a confiança que alguém depositou em nós, é algo muito duro. Jesus confiou a Judas a parte financeira, confiou a ele ser o tesoureiro do grupo e o golpe de sua traição foi fatal.

Quem trai é culpado pelo ato em si, e se possui um mínimo de consciência, deve avaliar as razões que o levou a chegar neste ponto, pois, certamente envolve muita coisa, passado e presente, e pode evitar que futuramente cometa o mesmo equívoco.

Perdoar uma traição não é uma das coisas mais fáceis de fazer. É preciso lutar muito, pedir muita ajuda a Deus e acreditar que vale a pena investir no ser humano para que esse processo aconteça de verdade. Sim, é um processo e exige muita paciência, assim como um enorme investimento de energia e fé. Jesus tendo amado e experimentado o custo de amar, continuo amando!

O que mais podemos fazer para evitarmos esse mal é fortalecer o nosso caráter e as nossas convicções para que a palavra “traição” não assuma corpo em nossa vida. Principalmente pelo fato de a cultura brasileira, por exemplo, estimular tanto a infidelidade em todos os aspectos e sentidos.
Contribuo mais para minha sociedade quando reconheço e admito meus erros, ao invés de procurar Judas a meu redor.

Insisto: Jesus tendo amado e experimentado o custo de amar, continuo amando!

Salmos 51.10 “Cria em mim um coração puro, ó Deus, e renova dentro de mim um espírito estável.”

Imagens: Reprodução

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.