Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Público caloroso esquenta show morno do Depeche Mode em SP

3

Uma plateia surpreendentemente animada para uma chuvosa noite de terça (27) deu gás ao show dos ingleses do Depeche Mode, no Allianz Parque, em São Paulo.

aulo.

As 25 mil pessoas que esgotaram os ingressos disponíveis, segundo os organizadores, não esmoreceram mesmo nos muitos momentos lentos e tornaram quente uma apresentação que, em qualquer outra circunstância, seria só morna.

Caetano cita Marielle em mostra de Tarsila do Amaral nos EUA

Voltando a São Paulo depois de 24 anos, o DM veio completo desta vez, com seu trio de fundadores -Dave Gahan, 55 (vocais), Martin Gore, 56 (guitarra e teclados) e Andy Fletcher, 56 (teclados)- acompanhado de Peter Gordeno (teclados e baixo) e de Christian Eigner (bateria).

Pontualmente às 21h45, a silhueta rebolante de Gahan surgiu em frente a um imenso quadro multicolorido projetado no telão, ao som de “Going Backwards”, uma das três canções do mais recente disco da banda (“Spirit”, 2017) presentes no repertório.

O vocalista é um animador experiente: rebola, faz caras e bocas para a plateia, gira igual a um peão, posa com os braços ora abertos, ora levantados, grita, sua em bicas por conta de sua movimentação incessante.

Já o guitarrista e tecladista Gore destaca-se em momentos ocasionais, como no solo de guitarra em “Precious”, nos vocais de “Insight”, acompanhado apenas pelo piano, e em “Home”. Além das duas estrelas, chama a atenção o baixo de Gordeno em “A Pain that I’m Used to” e “Useless”.

No repertório, que privilegiou o disco “Ultra” (1997), com cinco canções (o que explica a tepidez de parte do show), houve momentos bem lentos (“Barrel of a Gun”, “Cover Me”), uns poucos mais roqueiros (“A Pain that I’m Used to”, “A Question of Time”) e outros bem dançantes (“World in my Eyes”, “Everything Counts”).

Foi no trecho final que a apresentação realmente pegou fogo, com uma sequência de hits iniciada com “Everything Counts” e que incluiu os maiores sucessos do Depeche Mode, “Enjoy the Silence” e “Strangelove” -esta, já no bis, cantada por Martin Gore acompanhado apenas pelo piano de Gordeno.

Próximo das duas horas de show, o riff marcante da guitarra de Gore deu início a “Personal Jesus” e fez o público explodir pela última vez, encerrando numa nota alta a noite.

REPERTÓRIO DEPECHE MODE

“Going Backwards”

“It’s no Good”

“Barrel of a Gun”

“A Pain that I’m Used to”

“Useless”

“Precious”

“World in my Eyes”

“Cover Me”

“Insight”

“Home”

“In Your Room”

“Where’s the Revolution”

“Everything Counts”

“Stripped”

“Enjoy the Silence”

“Never let me Down Again”

BIS

“Strangelove”

“Walking in My Shoes”

“A Question of Time”

“Personal Jesus”

Com informações da Folhapress.

Imagem de capa:Reorodução

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.