Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

O poder da superação

60

A vida já te pregou alguma peça que te tirou da zona de conforto? Realmente sempre estará em nossas mãos extrair o melhor de cada situação, mesmo as mais difíceis ou traumáticas, e isso também deve fazer parte da nossa evolução. Inúmeros fatos registrados na história revelam que cada experiência deve ser para nós uma lição de vida. Superamos obstáculos todos os dias de nossas vidas!

A superação está diretamente ligada ao conceito de resiliência, refere-se à capacidade que possuímos de sofrer uma deformação pela ação de agentes externos e, contudo, voltar à nossa forma natural – voltar ao estado normal. É a maravilhosa capacidade de lidar com nossos próprios problemas, vencer os obstáculos e não ceder à pressão, seja qual for a situação.

O fator determinante para o desenvolvimento desta resiliência está na maneira como percebemos e processamos uma experiência dolorosa. Esse processo de superação envolve no mínimo ousadia, autoestima e autoconfiança para dar um novo significado ao que nos ocorreu e isto em favor do nosso próprio crescimento.

“Vida é 10% o que acontece a você e 90% como você reage a isso.” Charles Swindoll

No dia 05 de outubro deste ano, 2018, acompanhei superficialmente nos noticiários sobre os ganhadores do Prêmio Nobel da Paz deste ano (Pessoas que contribuíram com a manutenção na Paz no mundo! No ano de 1895, o sueco Alfred Bernhard Nobel, que também foi inventor da dinamite, criou o Prêmio Nobel, por iniciativa própria e pela necessidade de oferecer um prêmio de grande notoriedade, a todos que realizassem alguma contribuição para o bem de toda Humanidade). Dentre eles dois me chamaram demais a atenção:

Nadia Murad foi um deles – Ela pertence à minoria étnica e religiosa yazidi, no Iraque. O Estado Islâmico matou seu pai e seus irmãos e ela foi levada prisioneira, sendo escrava sexual durante três meses. Estima-se que três mil mulheres e meninas yasidis tenham sido estupradas. Em 2014, ela conseguiu escapar e tornou-se ativista para impedir o tráfico humano. Em 2016, ela foi nomeada embaixadora da Boa Vontade, na ONU. Ela conseguiu fugir e conta a sua história em livro Eu Serei a Última [Editora Objectiva]

Nadia teve vários proprietários. Foi violada e espancada. Quando se fartavam dela, vendiam‑na ou ofereciam‑na a outro ou entregavam‑na para entretenimento dos guardas. Em vários meses de cativeiro, foi serva doméstica, mercadoria em feira de escravos de Mossul, brinquedo sexual nos postos fronteiriços, para combatentes de passagem.

“Sim, o genocídio foi planeado, não aconteceu por acaso, porque o que eles fizeram aos yazidis não fizeram a mais ninguém. Nem aos muçulmanos, nem aos curdos muçulmanos nem aos cristãos.”; “Houve 6500 mulheres escravizadas pelo EI (Estado Islâmico”. Depois de libertadas, foram respeitadas pela comunidade, aceites pelos maridos. Todos perceberam que elas são vítimas, não culpadas.” Contou em certa entrevista.

O comitê também ressaltou a “coragem” de Nadia em falar sobre suas experiências e sofrimento em prol da luta contra o uso da violência sexual como crime de guerra.

Denis Mukwege, foi o outro que despertou minha atenção – Ele é um médico ginecologista do Congo, que se dedicou a recuperar a vida de mulheres vítimas de estupros. Depois de estuprarem as mulheres, os homens disparavam tiros contra a genitália delas, atingindo também as coxas. Uma perversa combinação de sexo e violência. Ao entrarem no hospital, as mulheres estavam mutiladas. Com financiamento da Unicef e doadores, o médico estruturou um hospital com 350 leitos e organizou um sistema para dar suporte para as mulheres recomeçarem as suas vidas. Atendeu mais de 30 mil mulheres vítimas de estupros e torturas. Sofreu um atentado, mas persistiu na sua luta para apoiar mulheres vítimas de violência sexual.

O médico e sua equipe “tratam milhares de pacientes que foram vítimas desses ataques”, condenou “a impunidade das violações maciças e criticou o governo do Congo e de outros países por não fazer o suficiente para acabar com a violência sexual contra as mulheres como estratégia e arma de guerra”, diz o Nobel.

“Da adversidade uns desistem, enquanto outros batem recordes.” Ayrton Senna

“Cada um deles à sua maneira ajudou a dar maior visibilidade à violência sexual em tempo de guerra, de modo que os perpetradores (agressores) possam ser responsabilizados por suas ações”, diz o texto oficial da Academia do Prêmio Nobel.

Algumas questões que jugo ser de extrema importância na história destes dois personagens: Ambos, conforme suas realidades, sofreram terríveis torturas emocionais, foram duramente golpeados pelo medo e pela dor, sofreram enorme esgotamento físico e mental. Em contrapartida, desenvolveram uma capacidade de superação e de amor ao próximo sensacional, dentro da expectativa do Criador.

“Você nunca sabe a força que tem, até que a sua única alternativa é ser forte.” Johnny Depp

Ambos dão uma demonstração de que podemos nos tornar participativos nas adversidades e aflições do nosso próximo. Que podemos nos doar para questões nobres que trará dignidade na vida do ser humano. Que podemos sair do nosso esconderijo e perceber que existe uma multidão combatendo o mesmo combate e que de soldados fragilizados e perplexos podemos nos transformar em grandes generais.

“12. Sei o que é passar necessidade e sei o que é ter fartura. Aprendi o segredo de viver contente em toda e qualquer situação, seja bem alimentado, seja com fome, tendo muito, ou passando necessidade. 13. Tudo posso naquele que me fortalece.” Bíblia Sagrada, carta aos Filipenses 4.12-13.

Todos temos que saber que a superação é possível sempre. A nossa autoestima depende de como nós mesmos nos vemos, de como nos valorizamos, de nossas percepções e crenças sobre o que somos e o que somos capazes de fazer.

Importante ter em mente que a motivação e a superação andam juntas, pois motivados somos capazes de se superar e alcançar resultados extraordinários. A motivação é um sentimento que estimula nossa força de vontade e engajamento para realizar nossas atividades diárias. No sentido literal da palavra, significa ter motivos para agir. Então, nos manter motivados é fundamental para estarmos em movimento para significativas realizações.

Já a superação, por sua vez, é o estado emocional que nos impulsiona a ir além das nossas dificuldades e limitações. Superação é direcionar forças para voltar ao estado normal.

A máxima de “pensar fora da caixinha” deve ser um hábito para superarmos todos os dias!

Imagens: reprodução

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

UA-132776669-1