Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Identificando o momento de desacelerar

Desacelerar o ritmo, em alguns momentos, irá fazer muito bem para nossas vidas.

61

Decidi eliminar a expressão “correria” do meu cotidiano! O motivo? Bem, Sempre que uma pessoa me pergunta: “Como você está”? ou “Como estão as coisas”? E na rotina do dia a dia todos ouvimos ou rebemos esta pergunta várias vezes, repetitivamente minha resposta era: “NA CORRERIA”! A priori uma resposta prática e na pratica quase que sempre verdadeira. Certo dia, após o contra argumento de uma pessoa, passei a analisar, e é algo pessoal, que com tal argumento estava simplesmente limitando minhas possibilidades de tempo para as demais coisas importantes da vida e que muitas vezes aparecem em momentos esporádicos do nosso dia. Percebi que tal resposta era automática, já estava na ponta da língua e isto começou a me incomodar. Como se tornou algo mecânico a primeira coisa que busquei foi substituir a frase “na correria” pela “tudo sob controle ou dentro dos conformes, graças a Deus” (novamente algo pessoal) na expectativa de minimizar o estresse decorrente do termo “correria”, desenvolvendo assim um equilíbrio emocional quanto as atividades e perspectivas do meu dia a dia. Uma mudança de mentalidade que possibilita desfrutar dos quase imperceptíveis momentos positivos e descontraídos dentro de uma rotina diária e desgastante.

Reprodução

Desacelerar o ritmo, em alguns momentos, irá fazer muito bem para nossas vidas.

Importante compreender que toda “correria” pode se caracterizar por uma série de atividades desordenadas, mesmo que seja uma exceção para alguns. Mas, verdade é que muitos de nós nos tornamos campeões exatamente neste quesito: “Vida Desordenada”! Já parou pra perceber que nossa vida consiste num ato de correr apressadamente de um lado para o outro? Pior é que com o passar do tempo, no que chamamos de mundo moderno, ela tem ficado cada vez mais frequente e está relacionada com o nosso estresse. Atualmente tal “correria” parece ser uma condição interminável, que não proporciona tempo livre para o lazer e produz consequências negativas para a saúde em todas as áreas do nosso ser.

Então, desacelerar passa a ser uma ação de conscientização sobre o que são nossas prioridades, importâncias e urgências. Em nossas atividades diárias necessitamos aprender a relacionar ou associar todas as decisões e rotinas com tais definições. Até porque, quantos de nós já não trabalhamos e nos esforçamos muito sem atingir nossos objetivos?

Reprodução

Certamente isso acontece, muitas vezes, exatamente pelo fato de não sabermos dar prioridade e confundir a urgência com a importância das tarefas.

Poderíamos definir “prioridade” como uma resposta para a seguinte pergunta: o que deve ser feito primeiro? Ou seja, aqui temos a definição da nossa prioridade do momento. Seria o nosso passo a passo direcionado para alcançar uma meta num determinado prazo (curto, médio ou longo). A “importância”, podemos dizer que está relacionada com o impacto que alguma tarefa ou atividade pode exigir de cada um de nós, ou seja, o quanto ela representa, mas não necessariamente é urgente. Vou utilizar como exemplo para esta questão uma frase que por vezes escuto: “sei que é importante fazer exercícios físicos, minha saúde vai melhorar muito, mas deixarei para fazer depois”. Agora, a “urgência” pode aparecer como uma atividade que exige toda nossa atenção no momento, ela vira a prioridade do agora, isto é, uma tarefa que devemos fazer primeiro ou dar mais atenção para ela.

Não é saudável sair fazendo tudo que está na nossa frente sem nenhum critério e para que não caiamos neste erro necessitamos identificar se nosso momento não é parar e desacelerar. Fica bem claro que todo nosso tempo é distribuído entre atividades importantes, urgentes e prioritárias. Agora se desenvolvermos uma vida sem disciplina e organização, acabamos transformando nossas atividades importantes em urgentes e por aí em diante atropelando tudo causando o tão indesejado estresse. Precisamos diminuir o tempo de algumas atividades ou acontecimentos.

Desacelerar é parar e respirar. Pensar sobre quando a velocidade e a correria fazem sentido ou quando não fazem e mesmo assim corremos, simplesmente, porque isso é o considerado “normal”.

Quantas vezes já nos pegamos com pressa, ansiosos e dando conta de mil tarefas, porém, com a sensação de que nem paramos para pensar no que estávamos fazendo? Ou de que não estivemos presentes, com plenitude, em nada do que realizamos?

Desacelerar é justamente para estar presentes e com plenitude, disponibilidade e atenção ao que estamos fazendo. É a atitude de nos perguntar sobre nossa relação com o tempo. Ou seja, como temos usado nosso tempo, se para nossas prioridades internas ou para as urgências externas. É claro que precisamos reconhecer que este é um enorme desafio, especialmente para trazer importantes benefícios relacionados ao nosso bem-estar e a nossa saúde.

Reprodução

Desacelerar, portanto, não é tarefa simples. Passa por um autoconhecimento e novamente pela consciência da nossa relação com o tempo. Passa pelas escolhas relacionadas a nossas prioridades e pela determinação para sustentar nossas opções que vão na contracorrente deste mundo que nos acelera cotidianamente. Mas, acredite, vale a pena!

Acredite, desacelerar irá nos ajudar a manter uma mente mais tranquila, a realizar atividades prazerosas e agradáveis que trazem uma série de benefícios para a saúde física, mental e emocional. Melhora o humor, estimula a criatividade e é importante, também, para fortalecer nossos relacionamentos. O primeiro passo é organizar melhor a nossa rotina. Se estivermos com a sensação de que as horas não são suficientes para fazer tudo o que necessitamos, é sinal de que precisamos rever nossas obrigações. Verificar se é apenas uma questão de falta de organização ou se estamos realmente com uma sobrecarga de atividades.

 
Reprodução

Para que possamos começar a aproveitar mais a vida, é fundamental aprendermos a viver o aqui e o agora. Um exemplo muito simples é: Se estamos brincando com nossos filhos ou conversando com amigos, deixemos o celular de lado e dediquemos toda nossa atenção para o que estamos vivendo naquele momento. Ao ler um livro ou assistir a um filme vamos manter o foco nisso. No início, pode parecer desafiador não pensar nas tantas atividades ou nas contas que precisamos pagar no dia seguinte, mas tudo é uma questão de treino. Logo, conseguiremos fazer isso automaticamente, sem ter a necessidade de competir com nossa mente.

Existem diversas atividades que podem ajudar a desacelerar nossa mente, como é o caso das práticas esportivas. Minhas prediletas. A felicidade pode estar presente nas pequenas coisas ao nosso redor, por isso é importante aprender a aguçar nossa percepção para que possamos valorizá-las. Apreciar uma paisagem, ser recebido com alegria pelo animal de estimação, receber um abraço de alguém especial, saborear nosso prato preferido, ouvir uma música que gostamos, tudo isso são exemplos de coisas simples, mas que podem trazer muitas alegria e satisfação.

Ao desacelerar aprenderemos a enxergar esses motivos e ser gratos por cada um deles. Certamente, essa mudança de atitude irá proporcionar uma nova e positiva visão sobre a nossa vida. Um modo de vida mais desacelerado exige o uso consciente do tempo e que reflitam sobre nossas escolhas relacionadas a ele.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

UA-132776669-1