Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Ex-prefeito Reinaldo Nogueira contesta condenação de 23 anos de prisão; afirma que é inocente

5
“Não desejo (prisão) nem para o meu pior inimigo, nem para a pessoa que deseja a minha morte”.

Em entrevista coletiva na manhã desta quinta-feira (9 ) o ex-prefeito de Indaiatuba Reinaldo Nogueira, falou sobre a sua condenação.

“Se alguém desta cidade tiver alguma prova  de que eu roubei, que vá ao ministério publico, disse ele”. Reinaldo também ressaltou “Acredito na minha absolvição, tenho fé na justiça”. Durante a  sua fala o ex-deputado afirmou. “Não desejo (prisão) nem para o meu pior inimigo, nem para a pessoa que deseja a minha morte”. Mas foi uma coisa que a gente passou”, afirmou.

Entenda a carreira política de Reinaldo Nogueira

Em 1992, aos 24 anos, foi eleito vereador em sua cidade natal pelo extinto Partido da Frente Liberal (PFL) com 921 votos, sendo o 4º mais votado, na época era o mais jovem da cidade. Em 1994 candidatou-se a Deputado Federal pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) conseguindo 16.313 votos assim obtendo a 1ª suplência do partido.

Foi eleito prefeito de Indaiatuba por dois mandatos consecutivos a partir de 1997. Em 1996 candidatou-se pela primeira vez ao cargo de prefeito de Indaiatuba, vencendo a eleição com aproximadamente 54% dos votos válidos (32.995 votos). Em 2000 disputa a reeleição ao cargo de prefeito e ganha o pleito com 74,10% dos votos válidos (55.782 votos).

Em 2006 foi eleito deputado federal pelo estado de São Paulo. Obteve 184.553 votos (0,88% dos votos válidos). Em 2008, disputa novamente o cargo de prefeito de Indaiatuba e vence com 69,80 % dos votos válidos (68.063 votos).

Em 2011 desfilia-se do seu partido de origem, o PDT para ir ao PMDB.

Nas eleições de 2012, reelege-se para o seu 4º mandato como prefeito de Indaiatuba, conquistando 65,10% dos votos válidos (67.301 votos).

Em outubro de 2015 foi alvo de uma operação do ministério público, acusado de participar de um esquema de fraudes na desapropriação de imóveis. A operação cumpriu 14 mandatos de busca e apreensão na prefeitura, nas casas do prefeito, de empresários e de um promotor público e em empresas. Em sua casa foram encontrados 1,5 milhão de reais em dinheiro.Foi acusado de desapropriar imóveis em Indaiatuba para favorecer os empresários e políticos. Um dos casos investigados foi a compra de um terreno por 450 mil reais por uma das empresas e que foi depois desapropriado pela prefeitura por 9,9 milhões de reais.

Foi preso em junho de 2016 e transferido para um presídio em Campinas, foram presas outras quatro pessoas, inclusive seu pai.

Foi novamente preso em novembro de 2016 em um posto de combustíveis na cidade de Indaiatuba. A prisão foi atribuída a possível crime de concussão.

Saiba mais sobre as condenações de Reinaldo Nogueira

Ex-Prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira é condenado a 23 anos de prisão

O ex-prefeito de Indaiatuba pelo MDB, Reinaldo Nogueira, foi condenado nesta terça-feira a 23 anos de quatro meses de prisão por desvio de recursos, na desapropriação de um imóvel adquirido em 2004 pelo pai dele, Leonício Lopes Cruz. A princípio Nogueira foi condenado em regime fechado, e também terá de pagar uma multa. Ele recorrerá em liberdade, pois a decisão foi em primeira instância.

Segundo o Ministério Público, a desapropriação realizada por Nogueira teve como objetivo valorizar o imóvel, e tomar posse indevidamente de recursos. Atualmente há uma área industrial para micros e pequenas empresas.

Nogueira já havia sido condenado em junho a 15 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e recorre em liberdade. Ele chegou a ser preso em junho de 2016, durante operação do Ministério Público para investigar corrupção nas desapropriações

O pai de Reinaldo Nogueira também foi condenado a prisão nesta terça-feira. Leonício Cruz foi condenado a 17 anos e dois meses de reclusão, e pagamento de multa. Segundo a decisão da 1ª Vara Criminal, Leonício Cruz tinha papel importante no esquema criminoso, pois sempre foi o proprietário oculto do imóvel desapropriado, assim como atuava como procurador do filho, que foi responsável legal pela desapropriação.

O advogado de Nogueira e do pai dele ingressou com apelação junto ao Tribunal de Justiça (TJ-SP).Os irmãos Rogério e Josué Silva foram condenados a 17 anos e 2 meses de prisão. Adma Galacci e Camila Gallaci foram condenadas a 12 anos de prisão. As condenações são para regime fechado, e incluem também o pagamento de multa. Todos poderão recorrer em liberdade.

Ex-prefeito de Indaiatuba, Reinaldo nogueira é condenado a 15 anos de prisão

O ex-prefeito de Indaiatuba, Reinaldo Nogueira foi condenado em primeira instância a 15 anos de prisão. A sentença da 1ª Vara Criminal de Indaiatuba foi expedida nesta segunda-feira. Também foi condenado a cumprir pena, em regime fechado, no mesmo processo, o empresário Sérgio Mário de Almeida Filho, proprietário da Construtora Eireli e Almeida. Os dois vão recorrer da sentença em liberdade.

A ação que levou à condenação do ex-prefeito teve início em 2015. Na ocasião, foram apreendidos no gabinete da prefeitura municipal quase R$ 40 mil numa caixa de papelão, guardados num armário. Os policiais também apreenderam, na casa do político, pouco mais de R$1,5 milhão, além de U$ 150 mil e € 1,7 mil. Na época, Nogueira disse aos policiais que estava guardando o dinheiro para comprar um imóvel.

Diante das provas e depois de ouvir a acusação do Ministério Público e todas as testemunhas de defesa, o juiz condenou o ex-prefeito à 15 anos de prisão, em regime fechado, e mais 147 dias multa por corrupção passiva, desvio de dinheiro e lavagem de dinheiro. Reinaldo Nogueira ainda teve o passaporte apreendido e não pode deixar o país. Ele também fica proibido de assumir cargo público pelo período de 30 anos.

O empresário Sérgio Mário de Almeida Filho também foi condenado por corrupção ativa e pegou pena de 5 anos e 10 meses de prisão.

Com informações da CBN e .wikipedia

Imagem de capa:reprodução/Youtube

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.