Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Engajamento: a diferença entre vestir e suar a camisa da empresa

“Funcionário com dor de dono”, esta é a frase que mais ouvimos quando falamos de engajamento, entretanto, esquecemos que os impulsionadores motivacionais podem variar entre os colaboradores.

58

Existem grandes empresas de treinamento que aplicam um único modelo de curso para TODOS os funcionários, desconsiderando, valores pessoais, diferença entre perfis e setores. Por exemplo, na maioria das vezes, a equipe comercial gosta de metas e desafios, contudo, o setor financeiro tende a valorizar a estabilidade profissional e qualidade de vida pessoal.

Mas qual é o certo? Depende do que você procura valorizar.

Entenda, digo isso baseado em fatos que vemos atualmente no mercado. Multinacionais do setor bancário que funcionam de segunda a sexta com funcionários contentes mesmo usando gravata e paletó em sua rotina, mas de outro lado, em multinacionais de tecnologia um funcionário utiliza um escorregador para ir de um andar para o outro.

O mais importante é que, antes de cobrar engajamento são necessários alguns passos:

1ºà DEFINIR valores e cultura corporativa. A empresa tem um perfil a ser traçado: missão, visão e valores precisam estar claros para sua equipe. Antes de cobrar é necessário ALINHAR EXPECTATIVAS.

2ºà CONTRATAR pessoas que têm o mesmo estilo que sua empresa valoriza. Existe uma grande tendência de procurar no mercado de trabalho profissionais que complementam nosso perfil, entretanto, nem sempre o nosso oposto apoiará as escolhas e estilo de vida profissional que a empresa necessita.

3ºà INTEGRAR o novo funcionário com os antigos, respeitando o tempo de aprendizado, mas valorizando aqueles que atualmente já estão lutando junto com você. É normal encontrar empresários, que ao receber o novo colaborador, dedicam muito tempo para ensinar e envolver este novo parceiro, se esquecendo de valorizar quem já está lá com ele.

FICOU PREOCUPADO? SE IDENTIFICOU COM AS SITUAÇÕES? Não tem problema, estes erros são mais comuns do que você imagina.

O importante é rever, considerar novas possibilidades e co-criar, ou seja, elaborar um novo formato e manter o que é bom repaginando o que precisa ser melhorado.

Nós da DH atuamos neste propósito de apoio ao RH a mais de 5 anos, com consultores com 15 anos de experiência em pessoas, sabemos o quanto é possível modelar e rever opiniões. Por este motivo, nossa sugestão é: respire fundo  e reflita em seus passos profissionais com pessoas que confia, pois, sozinho é sempre mais difícil.

 

Thais Galindo

DHworkconsulting

atendimento@dhworkconsulting.com.br

19 97600-3716

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

UA-132776669-1