Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Doutores besteirologistas; saiba mais sobre esses cidadãos que amenizam a dor com muita palhaçada

Os Doutores Cidadãos são palhaças voluntárias e palhaços voluntários que visitam regularmente hospitais públicos e filantrópicos.

313
 O Dia Internacional do Voluntário é celebrado anualmente em 5 de dezembro..

Esta data foi criada com o intuito de desenvolver o espírito de solidariedade nas pessoas, que são convidadas a colaborar com o desenvolvimento sustentável do planeta a partir de inúmeras ações.

O Dia do Voluntário foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) desde 1985. Os voluntários são aquelas pessoas que têm espírito cívico e interesse por ajudar a construir uma sociedade melhor, dedicando para isso parte do seu tempo em trabalhos sociais, sem receber qualquer tipo de remuneração por isso.

Tendo como meta os Objetivos do Milênio, definidos pela ONU em 2000, os voluntários atuam de modo a diminuir a extrema pobreza e a fome, garantir o ensino básico para todos, promover a igualdade entre os sexos, reduzir a mortalidade infantil, garantir a sustentabilidade ambiental, entre vários outros objetivos.

Pensando nisso o z1portal não poderia deixar passar em branco uma data tão importante. Então, entramos em contato com Max Bonani voluntário dos doutores cidadãos, para sabermos mais sobre esses voluntários que levam alegria e conforto aos hospitais com muita palhaçada.

Saiba mais

Quem são os Drs besteirologistas Doutores Cidadãos:
Os Doutores Cidadãos são palhaças voluntárias e palhaços voluntários que visitam regularmente hospitais públicos e filantrópicos, para propor bons encontros com pacientes, acompanhantes e profissionais da saúde. Consideramos bons encontros aqueles pautados pela vontade de compartilhar olhares, histórias e sorrisos respeitosos e torcedores. O objetivo não é fazer shows, mas, sim, estabelecer uma relação, ainda que breve, pautada pela declaração de respeito ao lugar do outro e torcida pelo seu bem-estar.
Missão dos doutores cidadãos:
Pela arte do palhaço, voluntariado e disposição para a realização de bons encontros humanos, os Doutores Cidadãos têm como missão levar aos frequentadores de hospitais públicos e filantrópicos, especialmente os pacientes adultos e idosos, acompanhantes, visitantes e funcionários, doses de preciosos remédios: alegria, valorização da vida e estímulo à cidadania.
Objetivo:
  • Estimular o exercício da cidadania pelo voluntariado, ou ainda, a participação dos indivíduos em causas de interesse coletivo;
  • Contribuir para a melhoria das relações interpessoais nos hospitais;
  • Construir bons encontros por meio da arte do palhaço e do diálogo;
  • Oferecer visitas animadas a pacientes adultos e idosos, especialmente;
  • Promover desenvolvimento pessoal aos participantes.

O que me levou a ser voluntário:
Desde adolescente eu tinha muita vontade de fazer algum tipo de trabalho social. Acreditava e ainda acredito que todos nós temos que exercer nossa cidadania, além da nossa rotina diária, através de trabalhos que ajudem no crescimento social da sociedade, principalmente olhando para os mais carentes e mais vulneráveis. Felizmente, no final de 2015 o Felipe Mello, diretor e fundador da ONG Canto Cidadão, realizou uma palestra sobre ética na minha empresa e divulgou o trabalho dos doutores palhaços hospitalares. Então eu me inscrevi e fui chamado para começar o caminho do protagonista. Aproximadamente durante 8 meses eu fui treinado com teorias e práticas para então começar a visitar os hospitais. Assim nasceu o Dr. Sasamilhone (Sasá). Desde então, quinzenalmente, eu e mais 4 amigos atendemos principalmente os adultos e idosos do Hospital das Clínicas em São Paulo. 
 
Importância desse trabalho:
O trabalho voluntário é importante pois me faz perceber que as relações criadas através dos bons encontros entre o médico besteirologista e o paciente são extremamente enriquecedoras para ambos os lados. A cada quarto atendido eu percebo o quão gratificante é ser voluntário. É possível perceber que o paciente, por alguns minutos, consegue se desconectar do ambiente hospitalar e se sente muitas vezes em sua própria casa batendo papo, rindo ou cantando com um colega. Neste momento, o papel do palhaço doutor (ou doutor palhaço) é de extrema importância, pois é esse profissional que fará essa conexão com o mundo.
 
Para quem deseja fazer algum trabalho voluntário:
Visite o site de nossa ONG Canto Cidadão e conheça os projetos sociais voluntários disponíveis e se inscreva. Também existe o site do Centro de Voluntariado de São Paulo, que une o trabalho disponíveis nas ONGs com os futuros voluntários.
Pequena reflexão:
Proponho para que façamos uma autoavaliação: o que desejamos melhorar em nós para que consequentemente o mundo também melhore? Sejamos protagonistas de uma pequena mudança, uma mudança interna. Sigamos no caminho da doação: de tempo, de cuidado e de amor. Zelo com o conhecido e com o estranho. Sim! Esse estranho também é nosso irmão. A construção de um mundo melhor é coletiva. Esse tipo de sonho não se concretiza sozinho.
Vamos resistir! Quanto mais insistirmos em sermos um pouco mais humanos a cada segundo, mais o mundo gira a nosso favor.
 
Quinteto cidadão formado por: Dr Sasámilhone, Dra Matraca Calzone, Dr Curió Linguine, Dr. Fetutico e Dr. Panquerito Azulão
Facebook do Dr. Sasá: https://www.facebook.com/doutorSaSa/
Site da ONG Canto Cidadão: http://www.cantocidadao.org.br/

Max por Max

Nome: Max Canova Bonani Francisco
Local de Nascimento: Porto Ferreira
Idade: 33 anos
Formação: Engenheiro Mecatrônico
Profissão: Engenheiro de vendas na empresa ABB.
Características pessoais:
Introvertido mas adora realizar um bom encontro.
Busca ininterrupta por aprendizados  e  histórias transmitidos pelos idosos.
Paixões:
– reunir a família, esposa e os 3 filhos e viajar.
– tomar (só) uma cerveja com os amigxs
– apreciar qualquer tipo de arte, mas em especial a clownesca.
– ser voluntário.

Imagens: Arquivo Pessoal/Max Bonani.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

UA-132776669-1