Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Criança também tem gastrite; saiba como identificar e tratar esse problema

14

Doença inflamatória do estômago em crianças, que vem se tornando frequente também na adolescência.

É caracterizada por dor abdominal generalizada ou localizada na região do estomago, podendo ser após alimentação ou não, podendo surgir na madrugada. Os pais não percebem que essa doença pode se tornar grave ou levar a uma qualidade de vida ruim para criança.

As causas mais comuns de desenvolvimento de gastrite pode ser a nutrição inadequada e a alergia alimentar. Como exemplo temos fast food, salgadinhos, sucos artificiais, refrigerantes. Na adolescência o fator emocional e ingesta precoce de álcool pode ajudar no desenvolvimento dessa doença.

Os sintomas que mais predomina é a dor que pode variar em intensidade e duração.

A criança mostra que o abdômen dói acima do umbigo, às vezes à direita do umbigo, mais próximo do lado esquerdo do abdômen pode surgir o ritmo: fome-dor-come-alívio-fome-dor.

As crianças podem evoluir com perda de peso e não querer se alimentar, irritação, náusea, vômitos ou não.

Lembramos que a gastrite aguda também pode ser desencadeada por medicamentos, produtos químicos ingeridos acidentalmente pela, criança.

A gastrite aguda pode acontecer com envenenamento acidental por produtos químicos domésticos.

A gastrite crônica em crianças decorre do processo inflamatório prolongado do estômago, diminuída ou normal.

A disfunção, o erro alimentar, a nutrição monótona, o tratamento prolongado com certos medicamentos, tabagismo, consumo de álcool, infestação de vermes, estresse, problemas familiares são os principais pré-requisitos para a gastrite crônica da criança.

O diagnóstico de gastrite em crianças baseia-se nas queixas de crianças, no histórico da doença e nos resultados de exames.

Os exames são solicitados pelo médico de acordo com a necessidade.

O tratamento da gastrite aguda em crianças deve ser realizado por um pediatra, e algumas  vezes, em conjunto com um especialista.

A correção de distúrbios emocionais quando presentes, através de psicoterapia é de grande importância para a formação de uma resposta adequada à doença o médico observará a criança, a situação emocional na família, as relações com os colegas de classe, ou observa possíveis causas do estresse da criança, o que pode desencadear o aparecimento da doença após comer, a criança não se deitar  que seja de cabeceira elevada.

Acompanhamento com pediatra e se necessário gastro infantil.

O otorrino e o dentista podem acompanhar em casos de comprometimento do aparelho respiratório e boca para identificar focos de infecção.

No terceiro ano de observação, todos os especialistas examinam a criança uma vez, e métodos de diagnóstico adicionais são realizados, se necessário.

Durante a crise evitar vegetais que contenham cascas duras ou grossas, vegetais crus em excesso.

É necessário alimentar a criança mais frequentemente, mas em pequenas porções.

Evitar produtos que contenham cogumelos, caldos, maionese, molhos, alimentos fritos, Produtos que contenham na sua composição óleos essenciais (especiarias, produtos defumados, chocolate, café, cacau, rabanete, cebola, alho, etc.); pão preto, pãezinhos macios, nozes; Sucos concentrados, limonada, chá forte.

Recomendado peixe cozido, carne bem cozida, omeletes, ovos cozidos, biscoitos brancos, chá fraco, água mineral alcalina sem ácido carbônico.

Quando a criança começa a se recuperar, é recomendável expandir o alimento de forma ziguezagueada. Isso implica a expansão da dieta por um curto período, seguido por um retorno a uma dieta poupadora. Esta nutrição com gastrite em crianças é considerada um treinamento, revitaliza a capacidade regenerativa do estômago.

Além disso, fazer o cardápio de uma criança com gastrite, deve levar em consideração suas necessidades de acordo com a idade.

Para evitar a gastrite da criança, é necessário cuidar do trato digestivo da criança desde uma idade precoce, com a introdução correta de alimentos complementares, em seu tempo correto, desenvolver hábitos alimentares saudáveis, já que as crianças seguem os hábitos alimentares da família.

Evitar excesso e frequência de alimentos não saudáveis. Ensinar às crianças higiene pessoal, lavar as mãos, vegetais, frutas para evitar a ocorrência de infecções intestinais.

Em caso frequente de dor abdominal procurar um pediatra.

Imagens: reprodução

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.