Z1 Portal de Notícias
Site de notícias de indaiatuba e região.

Campinas: Polícia investiga médico suspeito de matar mulher enforcada; vítima tinha medida protetiva

Izael Soares Barbosa, de 57 anos, foi preso na quarta (19) por crime ocorrido em 8 de outubro. De acordo com a Polícia Civil, médico tentou armar a cena como suicídio, mas histórico de relacionamento do casal levantou suspeita.

18

A Polícia Civil de Campinas (SP) investiga a participação do médico Izael Soares Barbosa, de 57 anos, na morte da mulher, no dia 8 de outubro deste ano. Lucimar Brasilisa Soares da Silva Barbosa, 37 anos, foi encontrada em casa com um cabo de energia enrolado no pescoço em uma cena que remetia a suicídio, mas informações do histórico de relacionamento do casal, com registros de agressões e pedido de medida protetiva, culminaram com a prisão do suspeito.

Médico credenciado a prestar serviços para o Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP) , Barbosa foi preso na noite da última quarta-feira (19). Nesta sexta (21), foi levado até o imóvel em que ele, a mulher e os três filhos moravam. O objetivo é reunir mais provas que ajudem a determinar o que teria ocorrido na noite do crime.

“O marido cortou o fio. Ele é médico, sabia que não poderia mexer no local de crime. Com essa circunstância e outras que apuramos, levantamos a suspeita que poderia ser um suicídio simulado”, explicou o delegado José Roberto Rocha Soares, do 13º DP.

Izael Barbosa, de 57 anos, é suspeito de ter matado a mulher, Lucimar Barbosa, de 37 anos — Foto: Reprodução/EPTV

Izael Barbosa, de 57 anos, é suspeito de ter matado a mulher, Lucimar Barbosa, de 37 anos — Foto: Reprodução/EPTV

Medida protetiva

Segundo a Polícia Civil, o casal estava junto há 16 anos e Izael assumiu os três filhos de Lucimar. Depois do crime, eles foram levados pelo Conselho Tutelar a um abrigo.No mandado de medida protetiva expedido pela Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Campinas e obtido pela EPTV, Lucimar relata que o marido usava remédios tarja preta, inclusive injetáveis, e descreve diversas agressões sofridas.

Em uma delas, a mulher relata que teve a boca colada. Ele ainda a registrar em fotos diversas partes do corpo com hematomas e cortes. Em uma delas, o pescoço de Lucimar ficou todo marcado após ter sido esganada com as mãos pelo marido.

Mulher relata em mandado que teve a boca colada pelo marido — Foto: Reprodução/EPTV

Mulher relata em mandado que teve a boca colada pelo marido — Foto: Reprodução/EPTV

Em outra imagem, a mulher registrou o médico usando fralda, cercado por caixas de remédios, alguns deles controlados.

Apesar de passados 75 dias do crime, o corpo de Lucimar segue no Instituto Médico Legal (IML) de Campinas, caso a Polícia Civil precise solicitar novos exames.

Lucimar registrou marcas no pescoço após ser esganada pelo marido — Foto: Reprodução/EPTV

Lucimar registrou marcas no pescoço após ser esganada pelo marido — Foto: Reprodução/EPTV

Suspenso pelo Detran

Em nota, o Detran.SP informa que suspendeu Izael das atividades para o qual era credenciado por 90 dias. “Os candidatos e condutores que estavam com exames agendados foram redirecionados para outros peritos credenciados.”

Segundo o orgão, “permanecendo impedido de exercer suas atividades por mais de 90 dias, o profissional será descredenciado por renúncia tácita. Caso contrário, será instaurado processo administrativo que poderá resultar no seu descredenciamento com a condenação criminal transitada em julgado.”

Mulher registrou o médico usando fralda e cercado por remédios — Foto: Reprodução/EPTV

Mulher registrou o médico usando fralda e cercado por remédios — Foto: Reprodução/EPTV

Com informações do G1

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.