Marco Regadas Saúde

Treino metabólico x treino tensional

Marco Regadas
Escrito por: Marco Regadas

Por Marco Regadas – Os frequentadores de academias e adeptos ao treinamento de força já devem ter ouvido falar em treinos metabólico e tensional, mas nem todos sabem as diferenças entre eles e seus benefícios para o organismo.

Para darmos um exemplo, um treino com 15 repetições de determinado exercício, com 30 segundos de intervalo entre as séries, é conhecido como treino metabólico. Já o mesmo exercício, com menos repetições, maior tempo de intervalo e o máximo de carga, é conhecido como um treino tensional. Mas, qual deles irá funcionar melhor para os seus objetivos?

No treino tensional, quanto mais peso, mais sobrecarga nos músculos. Grandes sobrecargas precisam ser feitas com menos repetições em um curto espaço de tempo para atingir o objetivo do treino, que é aumentar a força máxima. O treino tensional também tem grandes amplitudes de movimento durante o exercício. Maior amplitude envolve maior fase excêntrica (de alongamento) da contração muscular, suportando mais cargas, resultando em níveis aumentados de micro lesões (um dos diversos mecanismos de promover hipertrofia).

Ou seja, um treino com objetivo de maior estímulo tensional precisa ser composto por cargas mais elevadas, com tempo de recuperação entre as séries maior e menos repetições. Colabora para músculos mais fortes e, por isso, é recomendado para fases de aumento de força, na maior parte dos casos. Mas atenção, altas cargas aumentam o risco de desenvolvimento de lesão muscular, quando prolongado este tipo de estímulo por longos períodos de treino.

No treino metabólico o foco é no número mais alto de séries e menos tempo de descanso. A principal vantagem é que não expõe as articulações a cargas exageradas e o período maior de descanso colabora para preservar os tendões e estruturas envolvidas no movimento articular. Especialistas afirmam que neste tipo de estímulo, devem-se aproveitar melhor todas as fases do exercício. Mas muito cuidado, pois não é por que a carga é menor e o número de repetições pode ser mais alto que a velocidade de execução tem de ser mais rápida, a execução é fundamental para o bom resultado do treino.

Neste tipo de treino, as células musculares sofrem um maior estresse bioquímico, pelo tempo maior de execução de cada série. Um dos métodos de treino metabólico mais utilizado é o de super séries, que combina exercícios agonistas e antagonistas, ou seja, duplas de exercícios de movimentos contrários (puxar/empurrar; flexionar/estender).

E por que fazer o treino metabólico? Quando o atleta realiza uma série com carga significativa, mas com um tempo limitado de recuperação, a série seguinte terá uma limitação energética, já que o organismo não teve um tempo grande de recuperação. Isso desencadeia um estímulo para que o músculo seja capaz de aumentar essas reservas energéticas (reserva de ATP/Glicogênio/Creatina). E isso favorece o crescimento muscular e queima de gordura.

Lembre-se sempre de procurar uma orientação correta, com um profissional adequado e devidamente certificado, para que seus objetivos possam ser alcançados com segurança e sem riscos a sua saúde.

Imagens:Reprodução/Internet

Sobre o autor

Marco Regadas

Marco Regadas

Marco Regadas – Personal Trainer – Pós-graduado em Musculação e Personal pela Fefiso, certificado pelo CORE 360º, sócio proprietário da 4Life Treinamento Funcional.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: