Saúde e Bem Estar

Síndrome do pânico é cada vez mais comum: razão é a rotina que levamos hoje

Redação
Escrito por: Redação

Considerado um transtorno que gera intensa ansiedade, a síndrome do pânico é caracterizada por crises agudas de medo e desespero, normalmente associadas a períodos de mudanças e rituais de passagem.

O fim de um relacionamento amoroso, troca de emprego, mudança de casa, enfim, o medo, a insegurança e a ansiedade diante de algo novo e desconhecido são fatores que funcionam como gatilhos para uma crise de pânico.

Sintomas de síndrome do pânico

tisteza sindorme panico 017 400x800
ELDAR NURKOVIC/SHUTTERSTOCK

A síndrome do pânico geralmente começa com uma ansiedade profunda que, ao sair do controle e evoluir, faz com que a pessoa passe a apresentar diversos sintomas que caracterizam o problema, como:

  • Palpitação
  • Alteração nos batimentos cardíacos
  • Sudorese excessiva e tremores
  • Falta de ar
  • Dor ou incômodo no tórax
  • Ânsia de vômitos
  • Desconforto abdominal
PUBLICIDADE

tontura dor cabeca 0117 400x800
PATHDOC/SHUTTERSTOCK
  • Tontura e/ou desmaio
  • Calafrios ou ondas de calor
  • Formigamento ou falta de sensibilidade
  • Sensação de estar se distanciado de si mesmo
  • Medo profundo de enlouquecer, adoecer ou morrer
PUBLICIDADE

Por que a síndrome do pânico é tão comum hoje?

crise panico ataque coracao 0617 400x800
PATRICKHEAGNEY/ISTOCK

Especialistas apontam que as pressões cada vez mais presentes no cotidiano abrem portas de entrada para que crises de pânico apareçam com grande frequência e intensidade.

ansiedade fim ano 216 400x800
DANIELVILLENEUVE/ISTOCK

Como tratar a síndrome do pânico

Quanto mais cedo a síndrome do pânico for diagnosticada, mais simples o seu tratamento e maiores são as chances de cura. As crises podem até ser passageiras, mas o transtorno não desaparece sozinho, podendo somente ficar “escondido” até que determinada situação de ansiedade apareça na vida do paciente.

terapia psicologia analise 0317 400x800
DMYTRO ZINKEVYCH/SHUTTERSTOCKS

Os remédios ajudam a aliviar a ansiedade e a controlar as crises, mas apenas através de um autoconhecimento e análise com um psicólogo o paciente aprende a lidar com pensamentos ruins, medos e pressões sob uma perspectiva menos danosa. Com informações do Vix

Imagem de capa:SHUTTERSTOCK

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: