Comportamento Vitor Carneiro

Quando a vida não é vida

Vitor Carneiro
Escrito por: Vitor Carneiro

DEVEMOS TENTAR APRENDER QUEM REALMENTE SOMOS E NÃO DIZER QUEM DEVERÍAMOS SER – John Powell

Por Vítor Carneiro – Com o passar dos anos fui aprendendo que todos nós queremos ser aceitos como somos, que desejamos expressar emoções sem sermos rejeitados e que passamos a esperar de outros o preenchimento das carências afetivas da nossa alma.

Infelizmente neste tempo de tantos interesses direcionados e informações camufladas, corremos seriamente o risco de uma co-dependência cheia de armadilhas e situações de perigo. São inúmeros os que querem decidir e conduzir nossas vidas, entendo alguns como exemplos: a mídia, o estado, os movimentos, amigos, familiares e por aí em diante.

Todos nós passamos por diferentes fases em nossa vida, e nem sempre a felicidade está garantida em todas elas. Há instantes em que a vida não é de fato vida, é apenas um decorrer de dias preenchidos por desilusão, sem forças e sem entendimento.

Quem se deixa ser levado pela rotina e pelas escolhas que terceiros fazem em seu lugar, dia após dia se encontrará perdido. E, sem dúvida chegará um momento em que deixará de conhecer a si mesmo, porque a identidade pessoal terá se desmanchado em pedaços nos quais já não restará nem a autoestima. Então, beber para esquecer, fumar para se distrair, utilizar da automedicação achando que cuidará facilmente de sua doença, deixar a raiva invadir sua mente por considerar que é impossível resolver os problemas será uma forma ansiosa de superação.

Praticamente todos nós apresentamos pelo menos um tipo de comportamento cujas consequências são prejudiciais, mas que persistem mesmo assim. Eles podem ser:  trabalhar demais (exageradamente, principalmente quando não há necessidade para tal); ficar tempo demais na frente da televisão; gastar boa parte da vida navegando na internet; comprar exageradamente (inclusive além do que a situação econômica permite ou que se poderia usar); criar uma verdadeira obsessão pelas formas corporais, malhando demais para chegar a um tipo de corpo que dificilmente está ao alcance, ou, comendo de menos para tentar chegar naquele corpo de certas, ou certos, modelos; e despender boa parte da vida procurando novos parceiros ou vendo pornografia colocando principalmente a vida familiar em risco. Essas formas disfuncionais de comportamentos estão aparecendo cada vez mais principalmente devido aos tantos estímulos por parte da mídia e o desinteresse com relação as suas consequências, ou seja, ilusão de benefícios.

O objetivo de todo nosso esforço sem dúvidas é a felicidade. Mas, se nos encontramos num ambiente, ou desenvolvemos um comportamento, disfuncional facilmente seremos envolvidos pelas dificuldades provocadas por situações sobre as quais não temos nenhum controle.

 

QUERO MINHA VIDA DE VOLTA! Uma coisa é certa, precisamos dar sentido ao nosso viver, e que quando esse sentido se juntar ao prazer e à alegria de viver, a vida ganhará um novo significado e se ampliará para além de um vazio, ou de um prazer individual e instantâneo, que quando acaba, deixa a vida ainda mais vazia e sem sentido.

Viver a própria vida exigirá sempre uma atitude reparatória. Exigirá uma desintoxicação de toda proposta ilusória para dar sentido à vida, exigirá um expressar de forma afirmativa e clara sobre nossos desejos, emoções e pensamentos, apesar de todas as possíveis críticas com relação a nossas convicções, certamente elas surgirão.

E como dar sentido à nossa vida? Para se saber como um invento funciona, perguntamos para o seu inventor. Descobrir o propósito da nossa vida funciona da mesma forma, devemos perguntar a Deus. Neste caso a Bíblia é o nosso manual do proprietário, que explica porque estamos vivos, como a vida funciona, o que evitar e o que esperar do futuro. Deus não é apenas o ponto de partida para a nossa vida: Ele é a fonte dela. “pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis…; todas as coisas foram criadas por ele e para ele. Ele é antes de todas as coisas, e nele tudo subsiste.” Colossenses 1.16-17 – “Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre! Amém.” Romanos 11.36

Dar sentido à vida exige em algum momento, parar para dar prioridade a nós mesmos, cuidar de mim e querer meu bem um pouco mais. Somos nós mesmos que devemos ser convencidos a tomar uma atitude para ajustar a direção de nossa vida conforme os propósitos do Criador.

Para o que quero viver hoje, amanhã e depois de amanhã? Como nós vivemos nosso dia a dia é a maneira, claro, como nós vivemos nossas vidas.

Dia a dia temos escolhas em nossas vidas, em nosso comportamento e em nossas mentes no que queremos nos concentrar e que tipo de pessoas queremos ser. São nossos pensamentos que dão força às nossas emoções e que transformam nossa realidade.

Se nos fechamos em nós mesmos e cultivamos ressentimento e frustração, é muito difícil que deixemos uma porta aberta para que a vida nos inunde com sua magia. O melhor está por vir, acredito nisso e deve ser da nossa parte uma atitude, um modo de estar presente no dia a dia, mas, devemos aproveitar o hoje como se já tivéssemos chegado lá.

Como obter o melhor da vida? “Onde quer que você vá, vá com todo o coração.” Confúcio – O que quer que façamos, façamos com alma, com um coração cheio de vontade, deixando sempre muito do melhor que há em nós.

Algumas perguntas que podem ajudar a identificar nossa fase da vida:

Temos planos, metas e objetivos estabelecidos para nossa vida?

Busca agir para alcançar esses objetivos?

Quando acordamos, nos sentimos disposto ou indisposto?

No nosso dia a dia nos sentimos frequentemente cansados?

Quais sensações internas mais comuns temos experimenta no dia a dia?

Nos sentimos motivados com que frequência para alcançar resultados?

Consideramos que hoje vivemos um momento de estabilidade ou de transição de vida?

O que nos falta para sentirmos, verdadeiramente plenos e felizes?

Quando olhamos para nossa vida até aqui, sentimos mais orgulho/satisfação ou mais pesar/ insatisfação?

O que hoje estamos fazendo na prática para chegar ao nosso estado desejado tanto profissional como na vida pessoal?

Concluindo: Os comportamentos disfuncionais que causam nossos sofrimentos são aprendidos no decorrer de nossas vidas. Mas, podemos aprender novos comportamentos que nos auxiliem a superar nossas dificuldades. Lembre-se: nosso comportamento é o espelho da nossa alma.

“O que é necessário para mudar uma pessoa é mudar sua consciência de si mesma.” Abraham Maslow

“O Senhor já nos mostrou o que é bom, ele já disse o que exige de nós. O que ele quer é que façamos o que é direito, que amemos uns aos outros com dedicação e que vivamos em humilde obediência ao nosso Deus.” Miquéias 6.8

Imagens: Reprodução/Google

Sobre o autor

Vitor Carneiro

Vitor Carneiro

Vítor Carneiro, é pastor e palestrante.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: