Gastronomia Karina Bertocco

Porque alimentos refinados são tão vilões?

Karina Bertocco
Escrito por: Karina Bertocco
Alimentos Refinados…

Por Karina Bertocco – Alimentos como açúcares, farinhas, amidos, óleos e etc, depois que passam pelo processo de refinamento além de perderem todas as suas propriedades nutritivas também muitas vezes ganham aditivos e corantes para deixar a aparência do “alimento” mais atrativa.

Por isso é tão importante começarmos a trocar alguns tipos de alimentos que compõem nossas refeições diárias. Mas por onde começar?

Acredito que o alimento principal quando falamos de refinamento é açúcar e o sal. Ambos podem ser trocados facilmente e sem doer tanto no bolso. Trocar o açúcar refinado pelo mascavo orgânico por exemplo é uma troca inteligente. O açúcar mascavo orgânico não passa pelo processo de refinamento, não recebe aditivos e nem corantes e ainda por cima mantém algumas propriedades positivas do açúcar como cálcio e Magnésio por exemplo. Outra opção um pouco menos saudável, mas ainda assim muito melhor do que o açúcar convencional refinado é o açúcar demerara, o qual passa por uma parte do refinamento, mas não é adicionado nenhum tipo de aditivo.

O sal comum, de cozinha, refinado que usamos rotineiramente tem como aditivo o iodo entre outros elementos para dar cor, sabor e deixar o sal refinado bem solto. Além de passar por um processo de lavagem onde perde todos os seus nutrientes como cálcio, magnésio, enxofre e o iodo natural. Enquanto isso, o sal marinho mantém esses nutrientes e não contém aditivos em sua composição. O sal marinho ou mesmo o sal grosso que usamos em churrasco é muito mais saudável pois contem menos sódio. Caso queira usar ele mais fino, basta tritura-lo no liquidificador.

Já o sal rosa do Himalaia que a indústria do sal refinado tentou fazer dele um  vilão, mas não funcionou. Acho que as pessoas hoje em dia conseguem se informar melhor né? Enfim, é um sal riquíssimo em nutrientes livre de toxinas. É considerado um dos sais mais puros do mundo. Hoje conseguimos encontrar o famoso sal rosa em quase todos os lugares. Mas devemos ficar atentos, porque tem muita gente colocando corante em sal grosso e vendendo como sal rosa do Himalaia. Para saber se você foi enganado ou não, coloque um pouco do sal rosa em um copo com água e deixe de molho por pelo menos 12 horas (o ideal são 24 horas). Se notar que a água esta ficando cor de rosa, é porque o sal foi tingido. Caso a água continue transparente, esse sal veio mesmo do Himalaia.

Também será ótimo se conseguir trocar o tão comum arroz branco pelo integral. O que acontece é que o arroz branco passa por um processo de polimento para ficar com a aparência branca, cozinhar mais rápido e ter uma textura mais macia. Porém nesse processo de polimento perde todas as propriedades nutritivas e fica apenas com os carboidratos. Caso troque pelo arroz integral, o qual foi apenas descascado mas não polido, ele contém nutrientes como fibra, proteínas, sais minerais, vitaminas do complexo B, enfim, um alimento muito mais nutritivo. Demora um pouco mais para cozinhar, e tem uma textura mais fibrosa.

Farinhas; o problema não é o trigo e sim o processo de refinamento, que assim como o açúcar, faz com que além da perda de nutrientes também tenha o acréscimo de aditivos prejudiciais a saúde. Pode ser trocada facilmente pela versão integral onde mantém parte da casca e do gérmen de trigo e também contem fibras que ajudam na digestão. Mas, dependendo da preparação que for fazer, pode ser substituída por farinha de amêndoas, farinha de arroz, farinha de aveia, farinha de soja, farinha de chia, farinha de amaranto, farinha de linhaça, farinha de quinoa, farinha de banana verde que está ganhando fama mais e mais a cada dia. Ela faz com que o organismo absorva menos gordura, esta sendo muito usada em dietas para emagrecer. Porém tem um gosto amargo e deve ser usada em conjunto com outros alimentos. Farinha de tapioca também está na moda, e vamos ser sinceros…. É uma delícia.

Outros produtos refinados que também tem o mesmo problema dos apresentados acima são os amidos, como por exemplo o amido de milho, muito usado em diversas preparações na culinária brasileira. Pode ser substituído por polvilho, fécula de batata, araruta, entre outras coisas.

E os óleos vegetais refinados que são tão usados em todas as casas nesse Brasil? Bom, na minha casa particularmente eu não utilizo. Já troquei esse veneno fazem alguns anos! A indústria também tentou fazer do agora famoso óleo de coco um vilão, mas… Também não colou muito… Acredito que poucas pessoas caíram nessa armadilha né? Vejamos, os óleos comuns que encontramos nos supermercados são refinados, tem zero nutrientes bons para nosso organismo, alguns tipos são tóxicos, aumentam o colesterol ruim. Alem de ser utilizado até solvente para extrair o óleo e também muito calor e pressão. Esse processo acaba por obter um produto escuro e então é necessário mais processos químicos e mais aditivos para ele poder estar clarinho nas gôndolas dos supermercados. Resumindo? Evite-os a todo custo.

Que fritura não é saudável todo mundo sabe né? Então porque fazer isso em casa? Deixe para consumir produtos assim quando for enfiar o pé na jaca em algum restaurante. Em casa troque essa gordura por opções saudáveis como óleo de coco, óleo de linhaça, óleo de amêndoa, azeite de oliva, manteiga de coco, etc. Opte por assar alimentos ao invés de frita-los. Você pode se surpreender com o resultado… Digo positivamente tá?

Mudanças são bem vindas, principalmente quando estão relacionadas a nossa saúde! Que tal começar?

Imagens: Reprodução/Internet

Sobre o autor

Karina Bertocco

Karina Bertocco

Formada em Gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi, com curso de harmonização na Le Cordon Bleu em Paris, cursos de confeitaria e panificação na escola do Chef Rogério Shimura. Apaixonada por viagens, passei por mais de 20 países conhecendo novos sabores e culturas.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: