Mundo

Militares bloqueiam acesso a edifícios governamentais em capital do Zimbábue

Redação
Escrito por: Redação

Soldados do Exército do Zimbábue bloqueiam o acesso a edifícios do governo na capital, Harare, como o Mwenemutapa, que abriga o escritório do presidente Robert Mugabe, o Parlamento e o Supremo Tribunal, afirmou nesta quarta-feira a emissora de TV sul-africana “News24”.

Além disso, as informações apontam para uma forte presença militar na estrada que leva à residência rural de Mugabe, no distrito de Zvimba.

O canal também mostra vídeos onde aparecem soldados controlando o acesso ao aeroporto internacional da capital, recentemente renomeado como Robert Mugabe, onde os voos seguiriam operando com relativa normalidade.

O exército parece ter tomado controle dos veículos de imprensa públicos do país, já que um porta-voz militar leu ontem à noite um comunicado ao vivo onde descartou um “golpe militar” e garantiu que Mugabe e sua família estão “a salvo”.

Hoje pela manhã, o mesmo comunicado era repetido a casa 20 minutos nas emissoras de rádio nacional, que também reproduzem canções datadas da guerra da independência, afirmou a “News24”.

No entanto, embora a tensão no país esteja crescendo cresce e os rumores se espalharam sobre um possível golpe de Estado contra Mugabe, de 93 anos e no poder desde 1987, o comércio funciona normalmente, embora o volume do tráfego “é mínimo”.

A incerteza começou a aumentar na tarde de ontem, depois que vários tanques fossem vistos em direção a Harare, apenas no dia seguinte que o chefe das Forças Armadas, Constantine Chiwenga, advertisse que “medidas corretivas” seriam tomadas, se continuassem a saída de veteranos no partido do presidente.

A União Nacional Africana do Zimbábue – Frente Patriótica (ZANU-PF) respondeu afirmando que as palavras de Chiwenga sugeriam uma “conduta de traição” destinado a “incitar a insurreição e ao desafio violento da ordem constitucional”.

Na semana passada, o antigo vice-presidente do país, Emmerson Mnangagwa, veterano de guerra que aparecia como sucessor do presidente, foi destituído do cargo. Agora, a primeira-dama Grace Mugabe, de acordo com os analistas, surge agora como substituta do marido.

Mnangagwa fugiu para a África do Sul e, em comunicado, sustentou: “Em breve controlaremos as molas do poder no nosso belo partido e país”. Com informações da EFE

Imagem de capa:EFE/ Aaron Ufumeli

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: