Gastronomia Karina Bertocco

Como você se alimenta?

Karina Bertocco
Escrito por: Karina Bertocco

Por Karina Bertocco – Dia 06 de dezembro tive o prazer de participar do chá filosófico na aconchegante e deliciosa Margot Casa de Chá e Arte aqui em Indaiatuba, e o tema foi “Como você se alimenta? Alimentação Saudável vs Fitness.” Um tema que pode parecer polêmico, porém acredito ser mais libertador do que isso.

Você já parou para pensar que a relação entre alimentação Saudável vs Fitness nem sempre é verdadeira? São dois mundos diferentes mas muitas vezes são confundidos e expostos em redes sociais de maneira errônea.

Primeiramente acho que é fundamental deixar bem claro a respeito de algo que eu acredito ser fundamental: MEU corpo, MINHAS regras! SEU corpo, SUAS regras! E sim, é possível ser saudável e fitness, assim como ser saudável e não ser fitness. E também é muito possível ser fitness e não ser saudável.

Com essa consciência posso começar a matéria dessa semana que é livre de apontamentos, julgamentos ou críticas. É uma oportunidade de expor algo que vai além de corpos malhados seguidos por padrões estéticos que visam o externo.

Devemos cuidar do nosso bem mais valioso, que é o nosso corpo, e isso vai muito além do físico, acredito que a parte psicológica seja fundamental para refletir qualquer tipo de beleza. Mas mais do que isso, com o psicológico afetado, fica difícil ter saúde. Por isso acredito que o equilíbrio é sempre a melhor opção. Alimentação vai muito além da ingestão de nutrientes. Se alimentar está relacionado aos hábitos de vida e que nos dão prazer. Não só relacionado a comida, mas sim com todo o envolvimento social.

Somos o que comemos, mas comer também é um ato político, um ato de cuidado, um ato de amor próprio, um ato de amor ao próximo, um ato social, um ato de sustentabilidade. Quem se preocupa com saúde se preocupa na saúde como um todo, e não apenas com a saúde do próprio umbigo. Se preocupa com a saúde do mundo em que vivemos, pois é de extrema importância cuidar da nossa “vizinhança” a qual vai muito além das pessoas que moram na nossa rua… Moramos todos no mesmo planeta, e os impactos causados por pessoas do outro lado do mundo refletem por aqui também. Vivemos dentro de um ciclo, por isso é fundamental se importar com a origem do que comemos. De onde vem? Como é feito? Qual o impacto que a extração ou a produção desse produto gera? Você se alimenta bem quando está ingerindo alimentos vindos de trabalho escravo? Ou de um trabalho abusivo e infantil? Ou prefere fechar os olhos e achar que está tudo bem?

O que eu vejo em quase todas as pessoas que seguem a linha fitness é um interesse pessoal em resultados, em obter um corpo “perfeito”, uma barriga sarada, e no caso das mulheres, o “bumbum na nuca”.  Para isso muitas vezes procuram profissionais Nutricionistas, especializados em nutrição esportiva, pois precisam se nutrir de acordo com uma necessidade específica, muitas vezes é necessário o uso de suplementos, os quais podem ser muito benéficos para a saúde, mas muitas vezes podem ser um veneno.

Já uma pessoa que busca saúde em primeiro lugar, busca o equilíbrio. Uma alimentação mais natural… Uma atividade física equilibrada. Pelo menos no meu pensamento, o corpo humano é uma máquina perfeita, e a natureza também. Tudo o que precisamos para nutrir um corpo saudável se encontra naturalmente. Com boa procedência, orgânicos em primeiro lugar. Porque é a saúde que está em jogo!

Exemplificando alguns hábitos que costumam ser diferentes entre essas duas linhas, o fitness costuma ingerir apenas as claras de ovos, muitas vezes, qualquer ovo. Já o lado saudável vai consumir um ovo inteiro, que provavelmente é caipira e orgânico. Isso vale para o peito de frango, uma pessoa que se preocupa com saúde não vai ingerir qualquer frango, vai procurar por uma opção que seja orgânica e que não tenha sido alimentado com grãos transgênicos. Enquanto o fitness está procurando a batata doce para acompanhar, o saudável está fazendo um prato sem contar calorias, e sim cores.

Provavelmente, enquanto o fitness está consumindo seu iogurte industrializado light, o saudável está fazendo seu próprio iogurte em casa e muito possivelmente ele nem é feito com leite de vaca. A propósito, você já parou para ler os rótulos dos iogurtes?

Enquanto o fitness tira um dia na semana para ir a um restaurante japonês consumir Sashimi de Salmão (na verdade estamos falando sobre a famosa truta salmonada, criada em cativeiro no Chile, alimentada por ração com corante e com muitos antibióticos) mergulhada no shoyu light, o saudável provavelmente consome essa carne com uma menor freqüência, mas opta pelo verdadeiro Salmão, que tem um custo bem mais elevado, mas que contém todos os nutrientes, e também degustará esse prato com um tempero bem natural.

Normalmente uma pessoa saudável aprende a fazer, sabe da importância de saber cozinhar a própria comida. Conhecer os ingredientes, os benefícios dos temperos, das combinações. Costuma descascar mais e desembalar muito menos. Enquanto muitas vezes o fitness já virou cliente vip de alguma empresa que faz  marmitas marombas congeladas, e não tem a menor idéia da origem dos ingredientes.

Todos nós sabemos da enorme importância de profissionais de Nutrição, e também de profissionais de Gastronomia. Mas hoje conhecemos os problemas na qualidade do ensino no Brasil, e que vão na contramão do caminho que profissionais dessas áreas estão sendo submetidos, são carreiras que estão na moda, e muitas vezes esses profissionais estão mais interessados em EGO, FAMA, e PATROCÍNIO do que propriamente em ser um exemplo de profissional.

Profissionais que recomendam gelatina, gelatina diet… Iogurtes industrializados, barrinhas de cereais, peito de peru, suco de caixinha, entre tantos outros produtos que somos bombardeados por propagandas, propagandas enganosas. Empresas bilionárias que patrocinam tanta gente por aí. Se você busca saúde, proteja-se lendo os rótulos de tudo. Desconfie de profissionais que retiram produtos naturais do cardápio.

Sempre me questiono sobre QUAL É A LÓGICA DE UMA BANANA CUSTAR MAIS CARO DO QUE UM PACOTE DE BOLACHA? De um lado um produto 100% natural e do outro um produto com diversos ingredientes, que passam por um processo de produção, precisam de embalagem… e mesmo assim custa mais barato do que algo que dá em árvore?

Aí eu te pergunto: “A banana está cara? Ou a bolacha é que é barata demais por conter ingredientes que são todos uns lixos para a saúde?”

Por isso eu sempre desconfio do BARATO. Os melhores produtos dificilmente são os mais em conta. Você não valoriza o seu trabalho? Não gosta que te valorizem? Porque não valorizar o que vai te nutrir? Acredito muito no poder de uma boa alimentação, inclusive que os bons profissionais da Nutrição serão os médicos de amanhã. Gaste mais com comida boa e gastará bem menos na farmácia.

Imagem de capa: Reprodução

Sobre o autor

Karina Bertocco

Karina Bertocco

Formada em Gastronomia pela Universidade Anhembi Morumbi, com curso de harmonização na Le Cordon Bleu em Paris, cursos de confeitaria e panificação na escola do Chef Rogério Shimura. Apaixonada por viagens, passei por mais de 20 países conhecendo novos sabores e culturas.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: