Z1 Cidades

Campinas: Jovem é assassinado a facadas no chão Brasil

Redação
Escrito por: Redação
A Polícia Civil está investigando a morte de André Paulino Correa, de 27 anos, que foi assassinado com três facadas dentro de uma casa noturna, na madrugada de ontem, em Campinas. O caso foi registrado no Distrito Policial e até o fechamento desta edição ninguém havia sido preso.
De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (SSP), a Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência por volta das 4h50. A vítima foi encontrada no banheiro do local pelos seguranças da casa, chegou a ser socorrida com vida pela equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levada às pressas para o Hospital Mario Gatti, mas não resistiu aos ferimentos
José Aparecido Alves da Silva, de 36 anos, estava com André na casa noturna e afirma que encontrou o amigo já sem vida no hospital. Segundo ele, os dois chegaram juntos no local, mas se separaram um pouco antes do incidente, por volta das 4h. “A gente já estava se preparando para ir embora quando ele falou que ia pegar mais bebida e voltava, mas não apareceu”, conta.
Alguns minutos depois, José afirma que viu alguns seguranças correndo pela casa, mas que achou que era normal, já que o local estava prestes a encerrar as atividades.
Segundo André, como todas as pessoas saíram do local, ele também saiu para esperar o amigo. “Procurei nas barracas de lanche, nos pontos de ônibus e não encontrei. De acordo com o amigo, quando voltou ao local os seguranças informaram as características de André e que a vítima tinha sido levada ao Mário Gatti.
Já no hospital, José confirmou os dados e constatou a morte do jovem. Os amigos não costumavam frequentar o local e, segundo José, nenhuma confusão aconteceu durante a noite. “Estava tudo tranquilo, ele era tranquilo e não me avisou nada, não falou sobre algum tipo de briga”, finaliza.
Elena Gonçalves, de 50 anos, é amiga da família da vítima. Ela disse que o Chão Brasil não tinha entrado em contato com a família até o fechamento desta reportagem. “Quem avisou a família foi o hospital, por volta das 6h10. A casa até agora não entrou em contato com ninguém, não sabemos direito o que aconteceu. Vamos aguardar as câmeras de segurança”, conta.
A cabeleireira afirmou que os dois eram amigos há muito tempo. “Ele ajudava a mãe, nós tivemos que fazer um rateio para pagar o enterro”, comentou. A reportagem fez contato com a gerência do estabelecimento, mas a casa informou que só falaria com a polícia.
O delegado José Marchetti, presente no DP, afirmou que não comentaria o caso para não atrapalhar as investigações. O velório e enterro da vítima foram realizados no Cemitério dos Amarais, em Campinas.Com informações do Correio Popular.
Imagem de capa:Reprodução/Diego Souza/Web

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: