Esportes em Geral

Barrichello apoia Doria e pede para Brasil “curtir fossa” sem Massa

Redação
Escrito por: Redação

Rubens Barrichello esteve no Autódromo de Interlagos, neste domingo, para acompanhar o GP do Brasil de Fórmula 1. O ex-piloto, que disputou a prova 19 vezes, apoia o prefeito João Doria (PSDB) sobre o projeto de lei para privatizar o circuito paulistano.

“A ideia é boa”, disse Rubinho, em entrevista no paddock de Interlagos, antes de citar a principal inspiração do tucano. “Abu Dhabi é sensacional, tem coisas lá dentro que um fã pode chegar e fazer. É deixar as ideias fluírem. (A privatização) não é ruim desde que a gente continue com o autódromo. Se tocar, não gosto, não (risos)”, avisou.

Ciente dos assaltos às equipes Mercedes e Sauber em frente ao autódromo, Barrichello reiterou o apoio à gestão de Doria e citou outro problema enfrentado pela F1 durante a sua estadia na capital paulista.

“Estou adorando o que o Doria está fazendo por São Paulo. Ele não vai conseguir modificar de um dia para o outro uma situação que vem perdurando por algum tempo. Vamos esperar. Todas essas histórias podem acontecer, mas a reclamação que mais ouço dos pilotos é sobre o trânsito. O Brasil está envolvido numa situação que não sei se tem solução”, analisou.

Atualmente competindo na Stock Car, Barrichello correu na F1 de 1993 a 2011, sendo vice-campeão em 2002 e 2004, quando guiava pela Ferrari. Com a aposentadoria de Felipe Massa, o Brasil não contará com representantes na categoria em 2018, o que não ocorria desde 1969. Confiante nas promessa da base, Rubinho pede ao país para se espelhar no exterior.

“Piloto nunca vai nos faltar. Na molecada de kart, tem piloto de F1 em potencial muito grande. Vamos esperar e ver se a gente sai fortalecido do outro lado. Temos de aprender com os países mais evoluídos e ver como eles fizeram. A Inglaterra é um deles”, apontou, citando Lewis Hamilton, tetracampeão mundial, como exemplo.

“Se pegar uma primeira foto do Hamilton, você vê que ele já tinha apoio, mas também teve um cara com olho clínico. Todo piloto vai ter um momento muito bom e ruim também. Se você tem um apoio maior no momento ruim, ele vai estar lá para te levantar”, explicou Barrichello, antes de cobrar a criação de competições fortes dentro do Brasil.

“Na minha época, eu fiz um ano muito importante na minha carreira na Fórmula Ford. Quando você faz um ano de aprendizado no seu país, você vai para lá (exterior) muito mais evoluído. Está faltando isso, não há dúvidas. É um momento para curtir uma fossa e ver se saímos dessa o quanto antes possível”, encerrou. Com informaçõe da Gaeta Esportiva.

Imagem de capa:Reprodução/Fernando Dantas/GazetaPress

Sobre o autor

Redação

Redação

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: