Jane Rezende Saúde

Alimentação de gestantes: o importante é qualidade e não quantidade

Jane Rezende
Escrito por: Jane Rezende

Por Jane Rezende – Na gravidez há uma demanda muito grande de nutrientes e calorias tanto para gestante como para o bebê, e um organismo vivo não desenvolve bem sem os nutrientes adequados, como também aquele que gesta não fica bem se não se alimentar adequadamente.

O principal foco está na qualidade não só quantidade. Outro cuidado é na observação da ingesta de aditivos químicos, conservantes, corantes, aromatizantes, Sódio em excesso, cafeína e ácido fosfórico que estão presentes em produtos industrializados e causam mal ao feto e a mãe.

O alimento determina de forma significativa o tamanho, saúde e desenvolvimento neurocognitivo e emocional do bebê.

Em relação ao ganho d peso recomendado na gestação há uma correlação com o estado nutricional antes da gestação e é utilizado o índice de massa corpórea para a partir daí classificar o ganho de peso posterior, e esta avaliação é feita com o médico assistente.

Não só o peso deve ser a preocupação da gestante como também o perfil lipídico, perfil glicêmico, hemograma para ver principalmente se há anemia, e crescimento do feto. Todos esses fatores são influenciados por uma má ou boa dieta.

Dietas restritivas não são recomendadas para gestante pois podem apresentar deficiências de vitaminas, sais minerais e nutrientes como proteínas, carboidratos e gorduras que são importantes para manutenção de uma gestação saudável e formação de um bebê saudável.

Orientações ideais para um cardápio:

  • Ênfase na seleção de alimentos ricos em micronutrientes como carne , vegetais folhosos amarelos e verdes, leguminosas, frutas, leite e derivados se não houver contra indicação e sem excesso,
  • Desencorajar o uso contínuo de fast foods e lanches rápidos, e não substitui-los por refeições importantes.

Os lanches podem existir, mas saudáveis e como lanches.

  • Evitar o consumo de calorias vazias como doces, refrigerantes, bebidas alcoólicas, e alimentos que contenham gorduras trans ou hidrogenadas
  • Monitorar o consumo de alimentos light e diet pois têm produtos edulcorantes artificiais contra indicado na gestação.
  • Suplementos vitamínicos são importantes e prescrito pelo médico.

Alguns sintomas são comuns na gravidez como:

Náuseas e pode acontecer pelo aumento hormonal deste período e neste caso deve se fracionar as refeições em pequenas porções, evitar frituras, alimentos gordurosos e odor forte, evitar condimentos picantes e preferir temperos suaves.

Constipação principalmente provocada por um hormônio a progesterona, pois relaxa a musculatura e diminui o peristaltismo. Aumentar a ingestão de liquido, de fibras, consumir frutas com bagaço( mamão, ameixa, abacate, pera, figo), vegetais crus, pães e bolachas integrais

Diminuir o consumo de sal pois pode elevar a pressão arterial e que pelo próprio processo da gestação já pode acontecer.

Dos adoçantes dar preferencia para acessulfame, sucralose, frutose e estévia. Evitar sacarina e ciclamato de sódio.

Cuidado pois quem usa adoçante pode no decorrer do dia ter vontade de consumir muito doce pois o cérebro não o reconhece como açúcar.

Ponto interessante é sobre a comida japonesa. Cuidado pois o peixe cru pode sofrer deteriorização ou apresentar contaminantes prejudiciais para a mãe e o bebê. Não é proibido comer mas ver uma fonte de segurança(local).

Os ácidos graxos estes importantíssimos para fase de formação neurológica, enfatizando o w3 que se incorpora no cérebro, retina do feto.

Há dois períodos em que w3 são importantíssimos : o fetal  no último trimestre e do nascimento até 2 anos e estudos mostram o quão são importantes na depressão pós parto. Encontra-se em pescados e suplementos.

Portanto cuidado gestantes com todo o cuidado que se deve ter consigo mesma.

Sobre o autor

Jane Rezende

Jane Rezende

Jane Rezende é médica pediatra.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: